Clafoutis de Tomates – Versão I

Clafoutis de Tomates

Clafoutis é mais uma daquelas palavras cuja sonoridade me encanta tanto quanto os sabores da receita.

Enquanto inventava essa versão salgada da sobremesa francesa (que os puristas me perdoem, mas não resisti à vontade de inovar), sussurrava o nome repetidas vezes, pausada e alegremente: clá-fu-tí!

Assim como a ratatouille, o clafoutis já diz a que veio logo na palavra, com suas vogais de alegria e cor.

Originária da região de Limousin, a receita tradicional leva cerejas negras e pode ser comida morna ou fria. O nome vem do occitano (antigo provençal) clafotís, que significa preencher, lotar, encher. A palavra harmoniza, pois, com a coisa: uma massa com consistência de pudim, repleta de cerejas.

Ontem, ao avistar tomatinhos-cereja mui simpáticos, tive o lampejo: porque não testar uma versão salgada para o jantar?

E pus-me a matutar, pois não me lembrava muito bem da receita (é daquelas achamos que sempre saberemos como fazer). Cheguei a um resultado bastante satisfatório, muito embora acredite que da próxima vez farei modificações.

Compartilho com a senhora  e o senhor as medidas exatas que utilizei, à guisa de orientação.

Ingredientes:

  • 5 colheres de sopa rasas de farinha de trigo
  • 1/2 colher de chá de sal
  • 3 ovos
  • 3 colheres de sopa de um bom azeite
  • 250 ml de leite morno
  • 400 g de tomates-cereja (tudo bem, umas 300 se descontarmos os que comi e os que se lançaram da bancada para o chão, num ato de desespero)
  • margarina para untar o refratário
  • queijo ralado para polvilhar (pouco mesmo)
  • pimenta-do-reino
  • orégano seco
  • manjericão seco

Como fazer:

  1. A primeira providência é ligar o forno para preaquecer e levar os tomatinhos para um banho demorado a fim de livrá-los de qualquer sujidade.
  2. Numa vasilha de bater bolinho, peneire a farinha de trigo. Caso seja acometida(o) por uma preguiça intensa, desista da receita. É fundamental peneirar o trigo para deixar a massa mais levinha. E o clafoutis é tão simples e rápido de fazer que vale a pena peneirar só esse tantinho.
  3. Adicione o sal à farinha de trigo, junte um ovo inteiro, duas gemas e o óleo. Reserve as claras para usar depois. Mexa a mistura com uma colher de pau para incorporar bem. Vai ficar um pouco duro, mas é assim mesmo.
  4. Junte o leite muito aos pouquinhos, mexendo a massa vigorosamente com um batedor de arame para garantir que nenhum gruminho se formará. Nesse ponto, realizei-me, pois achei que estava batendo um bolinho :)
  5. Quando terminar de adicionar o leite, bata as duas claras reservadas em picos firmes.
  6. Incorpore as claras à massa líquida com carinho.
  7. Unte um refratário com manteiga ou margarina, polvilhe um nadinha de queijo ralado no fundo, só para fazer uma bossa, acomode os tomatinhos e tempere-os com a pimenta, o orégano e o manjericão (não carecede mais sal).
  8. Sobre os tomatinhos, despeje a massa. Polvilhe com mais um nadinha de queijo ralado e leve ao forno muito baixo por uns 30 minutos.
  9. Sirva quente, morno ou frio.

Os tomatinhos eclodem lindamente, seja no forno, seja na sua boca, provocando uma mistura mui delicada de sabores e texturas. Da próxima vez, suprimirei o majericão, pois ele resolveu aparecer muito. Também tentarei adicionar noz moscada à massa.

P.S.: Publiquei uma receita de clafoutis de banana uns tempos atrás. Para encontrá-la, digite uma palavra-chave no quadrinho do canto superior direito e depois clique em “pode bisbilhotar!”.



20 comentários em “Clafoutis de Tomates – Versão I

  1. Cris

    Dadi, o clafoutis de tomate está muito bem parecido!!!! :), deve ter ficado óptimo e a ideia de ser salgado foi muito boa pois na cozinha temos que inovar sempre e experimentar coisas novas mesmo que o resultado final não fique como queriamos, é claro que fui bisbilhotar o clafoutis de banana e a sua textura disse tudo, deve ter ficado delicioso!!!
    Bjs

    Responder
  2. silvia

    Se clafoutis e ratatouille já nos enchem os ouvidos e lembranças de cositas alegres, tente “pissaladiére”!!! rs…. a receita é bem veranil, pode conferir nos compêndios, se achar necessário!! rs
    Continuo assídua por aqui..
    Bjks

    Responder
  3. Dadivosa

    Eliana, acho que você vai gostar de fazer… é bem saboroso e divertido :D

    Cris, concordo com você! Para mim, às vezes, é mais importante o processo do que o resultado. E é com alguns deslizes que aprimoramos nossos dotes culi’nários, né?

    silvia, eu gosto muito de pissaladière. Estou com várias receitas “infalíveis” para testar: da mais clássica à mais inovadora. Você me lembrou disso agora hihih

    Beijos

    ;***

    Responder
  4. Dadivosa

    Patrícia, amei a dica! Vou lá correndo espreitar as proporções da receita dele… se bem que foi bastante divertido testar a versão salgada por mim mesma… clafoutis salgado by Dadivosa ahahhaa

    karla, a minha lista também anda monstruosa!

    ;***

    Responder
  5. Márcia lefouet

    Dadi,
    que prato maravilhoooso!!!
    Não sou muito de verduras, como vc deve ter notado, mas tomate cereja eu adoro. Nessa receita mágica, então…
    Vc se supera a cada dia, com suas magníficas invenções!!!
    Bjos.

    Responder
  6. Daniela

    Dadi, amei a receita. Tinha visto uma de maçã lá na Fer e essa de tomates me agarrou! Pena que estou sem os tomatinhos cereja em casa.
    Na hora de peneirar lembrei de você to procurando um daqueles gadgets de peneirar os sólidos, tenho um igual ao da Valentina que comprei há séculos atrás, assim que achar por essas bandas darei um pra ti.
    Beijos

    Responder
  7. Rodrigo

    Muito esse site…

    Queria saber se você tem receitas de saladas no seu site…procurei mas só achei uma, de grão-de-bico.

    Abrs.

    Rodrigo

    Responder
  8. Vitor Hugo

    “os que se lançaram da bancada para o chão, num ato de desespero” – como eu ri quando li a frase! heheheheh

    Eu tinha lido na “prazeres da mesa” que clafoutis deveria ser servido de quente pra morno, nunca quente. Se quem que era para a versão original sobremesa.

    Responder
  9. Dadivosa

    Dani, atualmente uso uma peneirinha, o que não é assim muito recomendado para meu nível de atabalhoamento, né? hhihihih
    Se não tiver os tomaticos, pode usar outros ingredientes que vai ficar bom: bolinhas de mussarela, arvorezinhas de couve-flor, azeitonas…

    Rodrigo, seja bem-vindo! Vou fazer algumas em breve, obrigada pela visita.

    Vitor, é bem provável, mas eu, que estava com pressa e fome, comi o clafoutis de quente para morno, sabe? Nem fumegante, nem tépido :D

    Responder
  10. Silvia Arruda

    Dadi, estou anotando todas estas receitas com legumes que você está postando. Este clafoutis é muito chique!
    Recebi o e-mail sobre a coroa delicada (chiquérrimoooo) e vou fazer com minhas queridas batatas…
    Bjo

    Responder
  11. Leilah

    Dadi, amei a receita, ainda mais q dá pra variar entre o doce e o salgado…acho q deve ficar bom com outras frutas tb, como maçã ou abacaxi…com um toquinho de canela, o q vc acha? Bjus!! :-D

    Responder
  12. renata lampião

    Oi Dadivosa, teu clafoutis está me dando água na boca. O Christophe Felder tem um livro só com clafoutis e tem receita salgadas também. Eu quero fazer o de cereja para comer no natal. Bj

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *




Arquivos

Post aleatório

Sábado é dia de Cuca

Newsletter

Assine para receber no seu e-mail