Brandade de Bacalhau Celestial da Elvira

Acabei de preparar meu primeiro bacalhau que, como é de conhecimento do Leitor e da Leitora, era meu Si Bemol – aquela nota que por um tempo me dava medo e que evitava a ponto de não tocar no violão as músicas que a tinham em sua composição.

Como platéia, a perrita, o marido e o sogro. Como canção, a aveludada, facílima, despretensiosa e irresistível Brandade de Bacalhau, composta com maestria celestial pela Elvira e reproduzida com charme pela Fer Guimarães Rosa. As duas, compositora e intérprete não poderiam ser mais inspiradoras. Obrigada, queridas!

Segui as instruções da Elvira à risca, nota por nota, e quem quiser se aventurar pode clicar aqui. Para brasileiros, apenas duas observações:

  • as natas são nosso creme de leite fresco: nem me passou pela veneta usar o de caixa ou lata
  • 10 dl (ou decilitros) correspondem a 100 ml: deixo aqui o link para um conversor de medidas, um dos tantos que existem por aí.

Fico agora a matutar qual será o próximo desafio culinário-gastronômico :)



18 comentários em “Brandade de Bacalhau Celestial da Elvira

  1. Pingback: Dadivosa » Si Bemol

  2. Lunalestrie

    Dadi, meu Si Bemol – realmente aquela pestana é de lascar, rs – é qualquer tipo de peixe, não sei nem por onde começar, fora que tenho problemas com o cheiro – minha cozinha é pequena -, enfim, mas essa sua foto me deixou salivando aqui, ai que vontade… :)

    Responder
  3. Roberta

    Adorei o site!! E essa receita me deixou tonta!!!!!
    Meu jantar hj?? Qq sanduba que me satisfaça!!! 18h, ainda no trabalho e indo pro curso!!! :(((
    rsrsrsrs
    Bjks

    Responder
  4. Luiza Cerqueira

    Oush, aqui no interior ninguém fala em creme de leite fresco, é NATA mesmo ! Cultivada com muito carinho no congelador apos “aferventar” o leite . kkkkk

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *




Arquivos

Newsletter

Assine para receber no seu e-mail