Sopinha de Feijão

Tenho a impressão de que quase tudo o que provei pode ser considerado comida de memória. Junto com os cheiros, os sons e os sentimentos, o gosto das coisas também imprime marcas na lembrança das pessoas. Podem ser líricas ou tétricas, felizes ou taciturnas, saborosas ou repugnantes, mas lá estão se você souber procurar com o interesse afiado e o coração descerrado.

Por conta do estado de superlotação culinário-afetiva em que se encontra meu sótão, tive imensa dificuldade em escolher uma receita que estivesse à altura do evento de Comida de Memória, tão gentilmente organizado pela Valentina.

Decidi falar daquilo que, para mim, é o melhor tipo de reaproveitamento culinário, vencendo até o atualmente tão incensado (e delicioso) bolinho de arroz: a sopinha de feijão.

As avós (e a mãe também) batiam o feijão do almoço no liquidificador, aqueciam o caldo na panela e nele coziam massinhas diversas para completar: aletria, estrelinhas, padre-nosso, letrinhas…

O tempero, suave, quase nada, só ouso complementar com um fio de azeite. É que a sopa, ao contrário do caldinho, não aceita bem as pimentas, os alhos e as carnes.

A sopinha de feijão verdadeira não pode entorpecer o paladar, nem embotar os sentidos, nem chegar a extremos de sabor e temperatura. É comida branda e ponderada, sem muita informação. Comida para acalmar pestinhas, arrisco dizer.

Ingredientes:

  • 2 xícaras de feijão cozido com bastante caldo ou 1 xícara de feijão mais grossinho e uma xícara de caldo de legumes caseiro (ou água)
  • 1/4 xícara (ou o quanto quiser) de macarrãozinho [usei “ave-maria”]
  • pitada de sal
  • fio de azeite

Como fazer:

  1. Meu feijão estava congelado e bem grossinho. Após breve aquecimento na panela, passei-o pelo liquidificador. Se quiser, você pode coá-lo, mas eu preferi com as casquinhas.
  2. Junte o feijão liquefeito com o caldo de legumes (ou com nada, se o seu estiver suficientemente líquido para cozinhar a massa) e leve para ferver.
  3. Adicione a massa, aguarde o tempo de cozimento, tampe a panela e deixe-a descansar por uns cinco minutos. Prove e ajuste o sal.
  4. Sirva com um fio de azeite num potinho bonito, num prato fundo ou numa caneca bem grande.


21 comentários em “Sopinha de Feijão

  1. Karla

    A sopinha do Bernardo!!!
    Dadi, você usou até ave-maria, a massinha preferida dele depois das letrinhas. Tb faço a sopa assim mesmo, só cozinho beterraba e outros legumes junto pq ele é meio chato pra comer, acrescento umas gotinhas de molho inglês, não sei pq a minha vó usava e acho que o cheiro lembra a sopa dela.
    Beijo

    Responder
  2. Márcia

    Dadi,
    apesar de detestar feijão, da sopa eu gostava bastante! Aliás, gosto até hoje!
    E a minha tb é como a sua, com macarrõezinhos diversos, que é pra dar aquele Tchan, que a faz tão acolhedora…
    Sim, e tenho que comentar a foto, né? Vc tb está nas finger foods?
    Ficou linda a apresentação…
    Beijinhos!!!

    Responder
  3. Dadivosa

    Karla, eu não era nada chata para comer, até de fígado eu gostava :)

    Márcia, obrigada! Foi o jeito que encontrei de mostrar melhor os macarrõezinhos. Não me ocorreu que pudesse ser finger food, não.

    Beijos

    Responder
  4. Silvia Arruda

    Dadi, eu simplesmente amo sopa de feijão…. e olha só que coincidência, eu vou postar no meu blog esta semana a receita da minha família, dentro do tema receitas da minha infância, proposto pela Valentina!
    Bjo

    Responder
  5. Neile

    Eu fiz ontem, acredita?!? No jantar….pra acolher homem chegado de segunda-feira cansativa, precisando de um dengo…rs…Que sincronismo legal!

    Responder
  6. Raul

    Juro que ao ler, senti o cheirinho do feijão e todo sabor temperado pela memória mais saborosa da minha infância.
    Valeu e viva o carnaval!!!

    A propósito: alguma dica para um folião alucinado??!!rs

    Responder
  7. Akemi

    Que linda foto, Dadi! Amei o verdinho, será um brotinho de feilão???
    Da sopa, então, nem se fale! Concordo contigo, muito tempero acaba ficando over mesmo! Delícia de lembrança!

    Responder
  8. Agdah

    Menina, minha avó fazia na panela de barro, esquentando o pão na chapa do fogão de lenha… Adorei o contraste entre a colher de porcelana e a sopinha. Por coincidência comprei um joguinho delas ontem.

    Responder
  9. Dadivosa

    Silvia, vou ficar bem de olho na sua receita de família, que deve ser estupenda!

    Neile, sopinhas têm tudo a ver com dengo :D

    Raul, que idéia genial! Vou pensar em algo em sua homenagem.

    Luna, essa aqui a vó fazia para acalmar as pestinhas mesmo. Acho que carninha moída e batatas dariam uma dose extra de energia para nós criOnças, né? Mas a combinação parece ser deliciosa, vou testar.

    Akemi, é uma folinha de mini-manjericão que foi abocanhada logo após a foto (adoro comer manjericão puro, vai entender…). Acho que sopinha de feijão bem temperada vira caldinho, né?

    Agdah, chego a quase sentir o cheirinho da panela de barro no fogão a lenha :)

    ;***

    Responder
  10. Renata

    Oi, Dadivosa!
    Obrigada pela visita ao meu blog ainda tão cheirando a fralda. =) Adorei saber que em Portugal os food blogs têm o nome de receitóblog. Tenho um pé lá na terrinha e recebo com muito carinho tudo o que vem de lá.
    Sopinha de feijão é tudo de bom, não é mesmo? Às vezes, minha mãe faz feijão só pra fazer a sopinha depois. =) Também não gosto da sopa muito temperada, só de reforçar a cebola depois. Minha mãe às vezes coloca também salsa picada. Bjs.

    Responder
  11. Andrea Nunes

    Dadi querida,

    hoje no almoço lá de casa a discussão foi porque a secretária do lar havia feito um feijão MUITO BOM ontem, faltou o serviço hoje, eu no improviso, esquentei o feijão, fiz um arroz ultra-mega-rápido e uma massa bem sem vergonha, só colocando manteiga, queijo ralado, uma colher de requeijão e um pouquinho de mostarda e bacon.

    A intenção era o povo detonar o feijão pra não sobrar mais nada, ninguém queria comer feijão, adoraram a massa sem-vergonha e eu lá com aquele monte de feijão com cara de ontem que ninguém quer. Sopinha em todo mundo hoje a noite!!!!

    Santa Dadi, nada de desperdicio lá em casa essa semana!!!

    Obrigada querida, ADORO o blog.

    beijos

    Responder
  12. Dadivosa

    Renata, uma salsinha iria superbem mesmo. Mas experimente um raminho de manjerico, achei que combinou bem bastante.

    Andrea, sabedoria de vó, né? Generosidade, sim, desperdício, não :D

    ;***

    Responder
  13. valentina

    Ai Dadi, dadi…me trouxe muitas memõrias este teu post. Tinha uma moça que trabalhou lá em casa que fazia sopinha de feijÃo maravilhosa.Era uma mineira de mãos mágicas.Tudo que tocava virarava sonho.vou por lá no Trembom.bjs

    Responder
  14. Renata

    Eu adoro sopa de feijão e comia muito quando criança! Fizemos um feijãozinho hoje no almoço e só não ficou igual o da vovó porque o Rodrigo tem pavor-cruz-credo de coentro (coentro pra mim tem gosto e cheiro de cozinha de mãe e avó!). Para a sopinha ficar com mais cara de casa de vó, basta acrescentar uma banana em rodelas à sopinha no prato.
    Aliás, a maioria das pessoas acha isso meio estranho, mas era um hábito tão normal na casa dos meus avós que eu só fui me dar conta da estranheza da coisa quando tomei pela primeira vez uma sopa de feijão fora de casa e, ao comentar da ausência da banana, ouvi vários “hein?!”.
    Alguém mais aqui gosta de sopa de feijão com banana ou é algo da categoria “siri com toddy”? :)

    Beijos! :*

    Responder
  15. Maria Helena

    oi Dadi, aqui também faço a sopa de feijão meio como você, sem muitos temperos e salamaleques pra ficar com esse jeitinho de comida de vó mesmo…rs
    Adoro!!!

    beijocas

    PS. Tbm adorei (e quero) colherinhas como essa da foto! rsrs

    Responder
  16. Dadivosa

    Cris, eu estava com tanta vontade que encarei no verão mesmo :)

    Elvira, “poderia ser portuguesa” é o elogio mais querido que uma sopa pode receber! Obrigada!!!

    Ale, você está aqui, na minha lista de blogs de comida, há tempos ;***

    Fer, não imaginei que tanta gente gostasse dessa sopinha. Foi uma grata surpresa…

    Valentina, acho que ela passou esse dom para você! ;*

    Renata, não acho estranho não! Minha irmã Yuli faz isso até hoje! Acho que ela relatou isso no comentário do post Amor em Penca :D Que legal saber que é um hábito compartilhado por mais gente!

    Maria Helena, eu gosto muito dos temperos e dos salamaleques, mas não na sopinha de feijão :)

    ;***

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *




Arquivos

Post aleatório

Caixa de Segredos

Newsletter

Assine para receber no seu e-mail