A lista chegou em mim

Já faz um tempinho que acompanho uma lista de seis “regras de etiqueta” que vem circulando pelos blogs de moças e jovens senhoras prendadas mundo afora. Foram a Valentina, dona do Trembom, e a Gorete do Feito em Casa que me convocaram a participar também. Depois de ler tantas listas com as quais concordo, fui acometida por duas sensações: a primeira é a de ter várias “irmãs-gêmeas” e a segunda foi a de não ter o que acrescentar acerca dos bons modos à mesa.

Então tive a vontade de falar também sobre algumas coisas que vão além da etiqueta, coisas que costumo fazer antes de levar o alimento à mesa, idiossincrasias. Será que serve? Pelo sim, pelo não, vou misturar as coisas e contar que:

  1. Atender o celular durante a refeição, seja em casa ou no restaurante, soa para mim como um tremendo desrespeito. Sei que vivemos na era da informação, no mundo conectado 24X7, que o celular é a coleira eletrônica das corporações etc. etc. Mas não consigo entender que um ser humano não se dê o direito de comer sem ser interrompido pelo telefone. Seu ou dos outros.
  2. Se todo mundo vivesse como eu, seriam necessários dois planetas e meio para dar conta do recado. Descobri isso neste teste. Pelo visto, morar numa metrópole, viver em apartamento, depender de supermercado e não cultivar o próprio alimento foram alguns dos fatores que depuseram contra minha ecoeficiência. Mas tento fazer a minha parte, separando o lixo de casa (principalmente o da cozinha), evitando desperdícios, andando a pé sempre que possível, utilizando eletrodomésticos ecoeficientes, comprando alimentos orgânicos e evitando consumir qualquer coisa de empresas que utilizem mão-de-obra escrava ou infantil, que firam os direitos humanos ou que sejam inimigas do meio-ambiente. Lavo e seco todas as embalagens recicláveis, que depois são amassadas e colocadas em caixas separadas para tetrapack e alumínio, papel, vidro e plásticos.
  3. Gosto muito de comer à mesa, mas também tenho meus dias de café-na-cama vendo televisão. Numa bem-arrumada bandeja, que fique claro!
  4. Mais do que ser vítima do atraso de convidados, tenho pavor de me atrasar para algum compromisso ou visitinha. Sou capaz de chegar mais cedo e esperar para dizer que cheguei! Caso me atrase por algum motivo (já aconteceu, malgrado todas as precauções), sempre dou um jeito de avisar antes.
  5. Tenho um primo que sempre conta, às gargalhadas, que a mãe só nos considerava “gente” depois que fazíamos quinze anos. Antes que pensem que ela é uma jararaca desalmada, deixem-me defendê-la: quando o número de convidados ultrapassava os lugares à mesa, crianças geralmente eram acomodadas numa mesa à parte, a “mesa dos inocentes”. E geralmente eram servidas antes. Assim, os tios, tias, vôs e vós podiam desfrutar a refeição com relativo sossego e bem acomodados. E nós aprendemos a ceder o lugar para os mais velhos.
  6. Televisão ligada (a não ser no caso do item 3) não orna. Uma musiquinha cai bem, mas notícias, novelas e filmes de explodir me causam indigestão.

Sei que trapaceei um tantinho e fugi um pouco do tema, mas deixo aqui o convite a todos que quiserem falar sobre suas seis regrinhas de etiqueta. Se quiser dar uma espiada nos manuais de boa conduta de outras leitoras e leitores cozinheiros, visitem os links da barra ao lado.

;***

Publicado por Dadivosa em


11 comentários em “A lista chegou em mim

  1. Fer Guimaraes Rosa

    finalmente, neh? ;-)

    eu sigo uma regra da minha propria netiqueta de nao passar corrente nem listas pra frente, por isso nao te convidei! mas estou feliz que outros passaram e entao posso ler !

    na minha familia tambem tinhamos esse habito da mesa das criancas, que foi quebrada pelo meu filho, pois ele sempre se recusou a ficar separado.

    nessa parte de ecologia e reciclagem somos da mesmissima tribo – give me five!

    beijao,

    Responder
  2. Dadivosa

    Pois é, Fer! Estou engatinhando ainda, não sou a pessoa mais ecológica do mundo, mas acho que a gente precisa começar por alguma parte, né? Meu próximo passo vai ser trocar os guardanapos de papel pelos de pano. ;)

    Responder
  3. Raul

    Na trapaça também…

    1- Gosto muito de comer vendo TV. Coisa de quem mora só. Quando tenho companhia, nunca.

    2- Prefiro que a mesa fique vazia logo após a refeição. Detesto restos no prato, ainda mais na hora do café.

    3- Café depois do almoço é básico.

    4- Lavo a louça sempre quando estou no preparo da comida e logo após as refeições. Nunca deixo para depois.

    5- Tenho um enorme prazer em cozinhar pra mim. Tanto ou mais que para os outros.

    6- Aprendi a comer mais devagar, mas ainda preciso aprender mais.

    Responder
  4. valentina

    Dadivosa, adorei a tua lista. Ótimos pontos.Adorei ler sobre o filho da Fe.que legal.Tenho uns amigos com criancás e os danadinhos sempre comem com a gente. Esperam..e é um barato. Adoro de paixão. Se tivesse filhos comeriam com os grandalhoes..rsss

    Responder
  5. karen

    Eu tento contribuir para melhorar a qualidade de vida no planeta, mas ainda tenho que melhorar muito…
    Concordo com o celular, uma vez fomos a um restaurante em sp e havia um rapaz acompanhado da mulher ou namorada que ligou para 5 pessoas diferentes antes do primeiro prato!

    Responder
  6. Dadivosa

    Queridas,
    Essa coisa de criança comer em mesa separada era mais uma necessidade, porque tinha sempre uma primalhada, não caberiam todos à mesa. Do lado da mãe, eram mais sete tios. Do lado do pai, cinco. Quase todos com filhos, geralmente dois ou três… aí já viu, né? Haja lugar!
    Mas a Dinahzinha, minha irmã caçulíssima-temporã, sempre comeu conosco, sempre tinha um lugarzinho pra ela… a não ser que as amiguinhas dela estiverem lá em casa. Aí a mesa dos inocentes volta a funcionar :)

    Responder
  7. renata

    Que bacana tua fala. Não se estendeu nadica, eu acho.Eu também estou aprendendo a lavar os sacos das verduras para reaproveitá-las. Xô desperdício. Bj

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *




Arquivos

Newsletter

Assine para receber no seu e-mail