Só ele se salvou

O macarrão ficou duro demais e o hamburguinho caseiro ficou desabrido, sem sal nem gosto. Gostoso mesmo só o brócolis, assustado em alho e óleo.

Há dias assim mesmo, em que até o mais dadivoso dos cozinheiros se distrai, erra na mão, nos tempos e nos temperos, desaprende o que parecia estar tatuado no DNA, escorrega até em fervura de água. E o brócolis, tão querido e verdolengo, apareceu todo cheio de sabor e autoridade vegetal para avisar que essas coisas são assim mesmo, ora bolas, que vamos que vamos, que cozinhar é uma caixinha de surpresas, que o empaPe é um bom resultado, que umas boas risadas e bonbons podem deixar tudo mais leve e colocar o desastre culinário na devida perspectiva: um convite ao desprendimento.

.*.

Desprendida, ou melhor, desconectada tenho estado por questões de ordem tecnológico-condominiais, de modos que esta cozinha carece de atualização. Oxalá conseguiremos resolver os dilemas com nem tantas horas de espera ao telefone. Ao Leitor e à Leitora queridos que por aqui passam deixo um beijo e a promessa de que tudo voltará ao normal em um ou dois dias. ;***

.*.



2 comentários em “Só ele se salvou

  1. Ziza

    Hihihi. Tem dias que são assim… prá me fazer esquecer, eu obrigo os meus meninos a elogiar até as piores receitas. O que eles fazem com amor :)

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *




Arquivos

Post aleatório

Televisão de Cachorro

Newsletter

Assine para receber no seu e-mail