A culpa é do Né!

Foi o tio por parte de marido que provocou a cisma ao comentar sobre um molho de calabresa que todos comeram, repetiram, se lambuzaram e apelaram ao pãozinho francês quando a massa acabou. A despeito dos protestos da esposa (que cozinha uma barbaridade e esteve ali ao lado o tempo todo para garantir que nada viesse a desandar), bateu o pé e atribuiu ao seu preciso corte da linguiça e à sua perfeita mescla de temperos o sucesso da empreitada. Era dele, portanto, o mérito do jantar e não se falava mais nisso.

De fato, ninguém mais questionou, novos assuntos e risadas surgiram à mesa, o sorvete foi servido, os olhinhos começaram a pescar, um bocejo aqui outro ali denunciaram a hora da soneca e o domingo seguiu tranquilo. Tranquilo para quase todos, exceto para mim, que não parava de pensar no tal molho. E sonhei com ele na soneca, e sonhei com ele mais tarde, e não sosseguei até fazer o dito-cujo, logo eu, que nem sou muito fã de calabresa. Pois ficou foi um espetáculo, comi, repeti, só não apelei para o pão porque não tinha em casa, arruinei qualquer intenção de começar a semana na sopinha e a culpa é toda do Né :)

Ingredientes (para dois)

  • 1 colher de sopa de azeite
  • cerca de 1 xícara de chá de linguiça calabresa (portuguesa também fica boa) em fatias finas
  • 1/2 cebola cortada em tiras beeeeem fininhas
  • 1 colher de sopa rasa de açúcar
  • 1/2 xícara de chá de vinho tinto
  • 1 lata de tomate pelado
  • pitadinha (inha mesmo) de nada de ervas secas: manjericão, salsinha e orégano (erva-doce também deve ornar)
  • sal só se precisar (pra mim não careceu)

Como fazer

  1. Leve a linguiça para fritar rapidamente no azeite até dourar. Junte a cebola, deixe murchar um pouco, adicione o açúcar e mexa até a cebola dourar.
  2. Adicione o vinho e deixe evaporar um pouco, raspando bem aquele fundo grudadinho.
  3. Junte os tomates pelados, quebrandos-o um pouco com a colher de pau.
  4. Tempere levemente com as ervas e deixe apurar. Se necessário for, junte um bocadinho de água.
  5. Sirva com talharim al dente ou polenta, acompanhe com umas folhas de rúcula se gostar e, sem a menor culpa, mande às favas qualquer idéia de começar a semana na salada e na sopinha.


6 comentários em “A culpa é do Né!

  1. nysa

    sonhas com comida ;-) gostei dessa! ainda bem que o né falou nesse molhinho… parece-me muito gostoso e perfeito para acompanhar uma massinha!!! beijocas

    Nysa, sonho sim… quando tenho sorte, lembro da receita quando acordo :)

    Responder
  2. Geovana

    Adoro o seu blog ! Sempre fico navegando nos blogs de culinária. Tenho uma grande coleção de receitas, mas nunca cozinho. :)
    Porém seu blog é diferente dos demias. Vc fala de forma didática e amiga ao mesmo tempo. Parabéns pelo jeito com a escrita e com os sabores.

    Menina, o que você está esperando, hein? Suspeito que existe uma Dadivosa aí dentro querendo se manifestar ;)

    Responder
  3. Kalina Saraiva de Lima

    Oi Dadivosa,
    nem lhe conheco mas admiro o charme dos seus pratos. cada comida apetitosa!!! gosto tanto que sinto voce perto de mim.
    obrigada pela forma clara, atraente, e concisa que voce usa pra contar suas historias e passar suas receitas.
    adoro seu blog mesmo.
    moro no momento no sul da Inglaterra, onde faco doutorado. ja passei seu blog pra uma amiga que tambem mora aqui, e ela ja me disse que voce ja ta la nos favoritos no laptop dela. pense no sucesso da Dadivosa!!!
    posso perguntar onde voce mora no Brasil? tenho uma ligeira impressao de que voce tem alguma coisa la ou que eh do Ceara. meus pais sao cearenses, terra que amo. eu nasci no Piaui, terra que amo.
    abraco e parabens pelo molho de linguica ‘detona dieta’,
    Kalina

    Responder
  4. Eduardo Luz

    Eu digo que comida boa ( ainda mais pasta!) não engorda ! Portanto, você começou a semana fazendo regime !
    Gostei das “pelancas do adeus”, mas vamos pra outra : quem é o Né ?
    Abs.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *




Arquivos

Post aleatório

À mesa com alegria

Newsletter

Assine para receber no seu e-mail