Arroz com Aletria rima com Roz bi Shaaryiiah

Aprendi a fazer a iguaria com a Vogra (mistura de vó com sogra) e tenho cá feito minhas adaptações ao prato, que dizem ser de origem libanesa. Sempre pergunto como se diz o arroz com aletria em árabe, parte porque me esqueço, parte porque o som das sílabas me faz sentir o cheirinho do prato.

A receita é daquelas boas para iniciantes e iniciados, neutra o suficiente para acompanhar quase qualquer coisa, com personalidade suficiente para encantar sem ofender paladares infantis ou pessoas gastronomicamente ortodoxas.

Da última vez, preparei assim:

Ingredientes:

  • 3 ninhos de aletria (cabelinho de anjo/ vermicelli)
  • 1 xícara e meia de arroz
  • 2 colheres de sopa de manteiga sem sal (das boas)
  • 1 colher de sopa de azeite
  • sal
  • 4 xícaras de água
  • zaatar (mistura árabe de orégano, gergelim e especiarias)

Como fazer:

  1. Leve a água para ferver.
  2. Divirta-se esmagando os ninhos de aletria com a mão. Reserve os fiozinhos quebrados.
  3. Aqueça a manteiga com o azeite na panela, adicione a aletria, remexa um pouco e deixe ficar escura. Isso mesmo, só douradinha não vale, vai ficar “desabriiiida”, como diz a Vogra. Tenha um bocadinho de paciência e deixe que fique da cor de um caramelo forte, o que deve levar alguns minutos (o tempo exato dependerá da força do seu fogão e do tipo de panela), não se descuide.
  4. Adicione o arroz com mais ou menos uma colher de chá rasa de sal e deixe refogar até que todos os grãos fiquem lustrosos com a manteiga. Junte a água fervendo e espere secar, sempre em fogo baixo. Caso falte-lhe segurança quanto ao tempo, ou sobre-lhe desejo de atacar, vá provando e adicione mais água se necessário.
  5. Sirva com uma pitada de zaatar para fazer uma bossa e coma com alegria, que também vai rimar! :)


5 comentários em “Arroz com Aletria rima com Roz bi Shaaryiiah

  1. Márcia

    Dadi, querida, que bom ver vc de volta!!!
    A Faby sempre fala desse arroz com aletria, nunca fiz e mooorro de vontade de fazer!
    Olha, tenho um conjuntinho de cumbucas igualzinho a este seu…
    Bjos!

    Responder
  2. Juliana Fernades

    Dadi (desculpe a intimidade, mas já sou leitora há tanto tempo que me sinto “da casa”), tava louca atrás de uma receita dessa pra acompanhar meu quibe de bandeja outro dia… Depois de muito procurar, acabei encontrando, mas não falava do zaatar (coloquei por instinto). Acho que é o tchã da receita, sabe?
    Espero um dia chegar nesse estágio de apresentação dos meus pratos. Parabéns sempre!

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *




Arquivos

Post aleatório

O ovo ou a galinha

Newsletter

Assine para receber no seu e-mail