Talismãs Culinários

O comentário da querida leitora trouxe à baila o fato de que há cozinheiros e cozinheiras que não tomam coragem de testar determinada receita sem antes adquirir utensílios bem específicos. Samis declarou não se aventurar nos cremes e suflês por não ter comprado uns lindos ramequins.

Eu mesma já me peguei a titubear diante de uma receita por não possuir o equipamento recomendado, que pode ser desde um processador de alimentos aos  garfinhos de banhar trufas, passando pelas batedeiras-fetiche e grades de esfriar biscoito.

‘Que bobagem’,  podem pensar o Leitor e a Leitora. ‘Minha bisa nada tinha dessas geringonças e preparava os quitutes dos mais complexos!’. ‘Mas Dadivosa, não era você que ontem mesmo apregoava a importância da cozinha simples?’

Sim, há verdade nesses pensamentos, mas também não se pode negar que às vezes transferimos para um objeto de desejo a responsabilidade pelo sucesso da receita nunca dantes testada.

A mente humana é ardilosa, apetece-lhe pregar esse tipo de peça. Ao disfarçar nossos medos e anseios em supostas necessidades, tira-nos do bolso para dar de comer ao monstrengo do consumo e entorpecer a alma por alguns segundos.

Contra isso não sei ao certo como lutar.

Sei apenas que sucumbo de vez em quando, e que o trinômio espaço-tempo-pecúlio comanda meu mecanismo de defesa, livrando-me da tragédia do vício, salvando-me diariamente de ser soterrada por utensílios mil, de passar meus dias a furungar prateleiras dos magazines e da falência total.

Guardo imenso carinho por meus ramequins e pela crescente coleção de de ovinhos-espátula/ fouet/ timer etc., pois muito já me inspiraram a ousar comidas novas.

Porque tenho para mim que esses utensílios do desejo podem, sim,  acrescentar pitadas generosas de intrepideza, atuando como alavancadores de coragem gastronômica, verdadeiros talismãs culinários.

Publicado por Dadivosa em


12 comentários em “Talismãs Culinários

  1. Neile

    Estas tuas elucubrações motivadas pelo post da Samis foram muito oportunas e certeiras. Com efeito, não apenas nas aventuras culinárias nos escoramos em amuletos – que, bote reparo: lembram muletas! – como em muitas outras questões e questíuculas da vida. Às vezes falta-nos coragem e a procuramos no agente externo…
    ps.: Dadi, aquela calda de ameixa é uma das mais deliciosas que já experimentei…sucesso total aqui! Mas, de uns dias pra cá, não acerto mais o iogurte…ó lástima!! Fica sempre muito molinho. Já pensei que foi o iogurte usado (embora a marca seja respeitável no mercado) ou que estou errando na temperatura (Céus, sou falível…rs.mas, tres vezes seguidas não é demais???). Acho que vou me aventurar no termômetro..quem sabe não se transforma num talismã culinário??? À conferir.

    Responder
  2. Samis

    Olá,
    A questão de espaço-tempo-pecúlio é um grande problema pra mim tmb ,visto que sou recem casada e pela 1ª vez moro em apartamento, por isso tenho que pensar 2 vezes antes de comprar qlq mimo,porque realmente alguns utilitários de cozinha são mimos mesmo !!
    Mas como eu faria um creme brullé sem um lindo ramekin colorido ?? é que nem fazer strogonof de chocolate sem ter uma taça chanfrada ..hehehe

    PS : Eu tenho uma coleção de timers que imitam coisinhas de cozinha ,panela,liquidificador,torradeira etc ..é brega, mas eu acho tão fofo ..hehe

    Responder
  3. Nana

    adoro coisinhas de cozinha, mas normalmente acabo sem usar nada. não tenho muito domínio sobre o território ainda e nem sei onde estão guardadas todas as parafernálias que facilitam a vida da gente. além disso, sou meio de improvisar. claro que isso, muitas vezes, acaba com uma receita que ia bem, mas como eu não faço nada muito complexo (ainda!), costuma funcionar.
    ah, sim… não sabia o que era ramequin até agora (na verdade, desconhecia até a sua existência). fui procurar e descobri que aquilo não é um ‘potinho’ genérico. pois é, parece que tenho muuuiiito a aprender nessa área.

    Responder
  4. Fer Guimaraes Rosa

    eu confesso que sou da turma que ate comeca algo sem os apetrechos, mas depois despiroca total e sai comprando tudo, de todas as cores e formas, so pra em um curto tempo enjoar e empilhar tudo no fundo da prateleira [ou pior, na lavanderia ou garagem]. uma vez ouvi uma prima contar que tinha feito um fondue delicioso na panela comum mesmo, no topo do fogao. as vezes as melhores receitas sao as improvisadas—mas as vezes nao sao! :-)

    beijaoo pra voce e pisc duplo pra esses ovinhos zóiudos!

    Responder
  5. Dadivosa

    Neile, te mandei um e-mail, querida. Para mim, que faço iogurte regularmente e não sou boa com temperaturas, o termômetro é item de primeira necessidade.

    V, tem foto? (minha mente ardilosa que adora um verde começa a se preparar para dar o bote e me fazer comprar uma também! hahaha)

    Samis, não faço idéia de como é essa taça chanfrada, mas dou o maior apoio para a sua coleção. Se você gosta dela, não há o que temer!

    Nana, isso é um mundo, todas nós estamos a descobrir coisas todos os dias, verdadeira perdição! :D

    Fer, só você para fazer aumentar a minha coleção, né? Estou com umas mini-forminhas de pão feitas de silicone há uns seis meses na embalagem. Culpa de um desses dias de despirocação…

    Dauro, seria a paçoca? Dia desses encontrei dois links com receitas de pinhão, não me lembro bem para quem, mas aí vão:
    https://www.pr.gov.br/turismo/receitas.shtml?turistas
    https://www.centrovegetariano.org/receitas/index.php?cat_id=51
    Nunca testei, mas você, homem dadivoso e prendado, não terá dificuldade em executá-las. ;***

    Responder
  6. Lídia

    Dadi,desde o dia em que decidi fazer meu iogurte,comprei um termômetro.
    O primeiro que me aventurei a fazer,não saiu lá estas coisas não,mas agora já me considero quase uma expert…rsrsrs..
    Thanks,pela ótima dica!
    Bjosss.
    Lídi@

    Responder
  7. Fafah

    Ah Dadi, outro dia me aventurei a fazer um curso de” doces finos” e no fim de semana la fui eu a pratica-los;resultado, no final achei que seria bom ate que eu tivesse mais braços, pernas … tamanha a sujeira que fiz na cozinha, não me sobrou nenhuma panelinha limpa, tampouco peneirinhas, balcões, mesa e tudo mais.no fim das contas me valeu ter essas coisinhas em quantidade! bj Fafah.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *




Arquivos

Newsletter

Assine para receber no seu e-mail