Abricó Estorricado

Eis que inventei uma espécie de manjar branco usando um pacote de gelatina sem sabor, 250 ml de iogurte natural, 1 vidro de leite de coco e açúcar.

Refreei meus instintos de bater bolinho para não transformar a mistura em outra flousse e depositei tudo com carinho em minha Tupperware Mágica para formar uma bela sobremesa.

Era preciso produzir uma calda bonita e azedinha-doce para acompanhar. Levei ao fogo 150 gramas de damascos turcos com duas xícaras de açúcar e uma colher generosa de mel de abelhas orgânico.

Começo a suspeitar que algum gene piromaníaco andou se fortalecendo em mim por esses dias, pois não obstante a quantidade de visitas à cozinha para verificar o cozimento, uma fumaça preta tomou conta da casa.

Ao correr para a cozinha, aos tropicões, dei-me conta do estrago. Os damascos, pobrezinhos, agarravam-se a um fundo de panela, que mais parecia um mar de lava preta, agonizando e falando com a voz embargada e sumida: “socooooorro…”

Mais que depressa desliguei o fogo, passei a mão num garfo e resgatei as frutas do triste fim, desgrudando-as da panela e depositando-as numa maca, digo, numa vasilha de vidro.

Levei a panela quase em chamas para a área de serviço, abri a torneira e produzi um fumacê ainda maior.

Após gargalhadas e correrias para fechar a porta da cozinha e abrir todas as janelas, o saldo:

  • Os abricós, malgrado o socorro, não sobreviveram.
  • O manjar continua na forma, à espera de um molhinho supimpa.
  • A casa, mesmo com todas as janelas abertas, cheira a queimado até agora.
  • E a dóga, testemunha de meus inúmeros percalços culinários, só balança a cabeça: “Tsc tsc tsc, esta louca ainda vai botar fogo na casa!”

P.S.: O leitor e a leitora devem lembrar do episódio do gergelim, decerto. Além desses, queimei ainda um panelão de grão-de-bico não tem nem um mês.

Publicado por Dadivosa em


12 comentários em “Abricó Estorricado

  1. Maria Helena

    Ai Dadi… eu digo o que seria de um bom blog culinário sem micos?
    Mas sempre podemos “dar uma de Poliana” e ver o lado bom da coisa: nós, suas leitoras assíduas não tentaremos jamais reproduzir tal caldinha supimpa de abricós com açúcar e mel orgânico, por mais que tenhamos esse impulso dadivoso.
    Mas o manjar deve ter ficado delicioso. Adoro qualquer coisa com iogurte!

    Beijocas!!!
    P.S. Eu ainda devo o relato dos outros micos la no Aventuras…rs…

    Responder
  2. Dadivosa

    Maria Helena, lá isso é bem verdade! Pelo menos as leitoras e leitores queridos não podem dizer que não os preveni :D

    Patrícia, como é que não pensei nisso antes? Se bem que me imagino deixando o extintor cair bem no dedão do pé, ui! É ca-la-ro que eu quero essa receitinha de damasco. Vou escrever procê pra ver se o trauma do abricó vai embora.

    Sora, é aquela coisa, né? Não posso despir um santo para vestir o outro… hahaha

    ;***

    Responder
  3. Dadivosa

    Fer, acho que é uma coisa de gene, não de signo, pois tenho uma tia que é igualzinha, uma prima, um primo e um tio… todo mundo de signos zodiacais diferentes! Para todos os efeitos, eu sou de aquário :)
    Beijos

    Responder
  4. Dadivosa

    Eliana, o problema é que comigo isso tem ocorrido com mais freqüência! hahah

    Luciana, o manjar, como disse, está ainda na forma, à espera de uma calda. Pretendo fazê-la hoje e acho que será básica mesmo, de ameixas :)

    Viotor Hugo, exatamente! Esqueci que a panela estava no fogo enquanto conversava com o marido e a dóga na sala. Foi coisa de poucos minutos, sabe? Mas estava na panela de inox fundo triplo, que é bem rapidinha.

    ;***

    Responder
  5. Aninha

    Nada como começar o dia dando boas risadas. Além de informar seu site ainda nos faz rir.
    Ainda bem que como eu, existem outras desastradas na cozinha…

    Beijos

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *




Arquivos

Post aleatório

Bate-soca-esmaga

Newsletter

Assine para receber no seu e-mail