Queima-te Sésamo!

A leitora não deve pensar que tenho horror à cidade grande, pois minha relação com São Paulo é justamente oposta.  Ao meu ver, as benesses de se residir numa capital com milhões e milhões de habitantes ultrapassa em muito os reveses.

E não me canso de agradecer o fato de poder contar com estabelecimentos de secos & molhados de extrema qualidade que ficam abertos bem depois de findo o horário comercial, para o deleite de notívagos, gourmets, gourmands e dadivosos em geral.

Ontem fui às compras em minha mais nova descoberta, um horti-fruti mui simpático a duas quadras de casa que oferece também queijos, vinhos, acepipes, açougue, peixaria e fresquíssimos sushis e sashimis. Passei por volta das 21 horas e, além da bandeja de sashimi, carreguei comigo tofu, missô e cebolinha para preparar um missoshiro.

“Vou deitar uma bela mesa”, pensei. Pus-me, alegre e faceira, a preparar a guarnição. Levei ao fogo uma frigideirinha com sementes de gergelim e, enquanto aqueciam, fui cortar finíssimas fatias de pepinos. “Vou polvilhar com açúcar e sal, tal como vi outro dia naquela receita de saladinha nem me lembro onde”, pensei.

Eis que chega o marido, com os olhos arregalados e apontando para o fogão. “Tá pulando tudo ali!”, disse assustado.

Calmamente, tomei uma tampa de panela, cobri as sementinhas, desliguei o fogo e voltei para a lida. Lavei e cortei a cebolinha, pus a água para aquecer, dissolvi o missô, cortei o tofu em quadradinhos. Comprei do macio por engano, mas tudo bem. Levei à mesa meu fofys-jogo-americano de maçã, o potinho para shoyu, os hashis…

Foi quando olhei para a cã, ela também com cara de interrogação,que tomei tento de meu derredor: a fumaça tomava conta do recinto! Eu havia virado o botão do fogão ao contrário, decerto. Corri para desligar o fogo com cuidado para não tropicar e nem tive coragem de abrir a tampa da frigideira. Abri todas as janelas, escorri o pepino daquele jeito mesmo, finalizei o missoshiro e quando sentamos à mesa a fumaça já havia dado uma trégua. Ou quase, pois o aroma indescritível de esturro quase podia sentar-se à mesa conosco, de tão presente.

Ao final da refeição, fui espreitar o que havia sucedido dentro da frigideira e mais fumaça escapou. E pude ver que o que antes era sésamo tinha virado carvão. E minha vontade de comer gergelim torrado sobre um arroz branquinho só fez aumentar.

Por isso, à leitora prendada, faço um apelo: como a senhora faz para torrar sementes de gergelim sem incendiar a casa? Qual seria a técnica correta?

.*. Atualização .*.

Agradeço enormemente a contribuição das leitoras e leitores dadivosos que por aqui passaram em auxílio ao meu cafife com o gergelim.

Aparentemente, o processo é deveras simples e rápido, rapidez esta que pode vir a ser um óbice para a realização da feita, dada minha conhecida falta de destreza na cozinha.

A ver se consiguirei da próxima vez ;***



8 comentários em “Queima-te Sésamo!

  1. Faby

    Dadi eu torro gergelim numa panela alta numa bôua, mas devo te dizer que o processo, pelo menos lá em casa, é moooooooito rápido nêga. Não é pra largar o gergelim lá e ir picar cebolinha não comadre!!!! Bom, pelo menos lá é assim. Eu coloco numa panela alta, mexo até começar a pular, tampo e vou apenas mexendo a panela – pronto! Segundos depois o gergelim já está brozeadinho!

    Beijuca

    Responder
  2. Aninha

    Olá!
    Descobri o site a pouco tempo e AMEI! O assunto mas, principalmente a forma como você escreve e descreve os fatos. Ganhaste uma fã leitora :)
    Vi algumas vezes minha mãe torrar gergelim e realmente era super rápido e necessitava de toda atenção dela. Ela também dizia que mascar o gergelim cru era ótimo para garganta inflamada (não é que funcionava!).
    Onde fica esse horti-fruti em SP? Sou “recém-dadivosa” e aos poucos estou aprendendo a dominar as panelas! Um grande abraço

    Responder
  3. Dadivosa

    Aninha, que coisa querida, ser “recém-dadivosa”. Pois digo que a dadivosice já está dentro de você, meu bem. Agora é só praticar! O horti fica na rua Cubatão, no Paraíso, e por enquanto tem me apetecido sobremaneira.
    Seja muito bem-vinda, fique à vontade para comentar, sugerir e perguntar.
    beijos

    Responder
  4. Patricia Scarpin

    Dadi, tive uma crise de riso aqui no trabalho por causa do post!

    Meu chefe deve estar pensando ‘estE loucA destE secretáriA” – hahaha

    Nunca torrei gergelim, mas estava pensando no mesmo que a FAby escreveu – pelo tamanhinho das coisinhas, deve ser rapido!

    Responder
  5. karen

    É Dadi, tostar gergelim é vapt-vupt! Primeiro aqueça a frigideira, bote o gergelim, dê uma misturada ou chacoalhadinha e pronto!

    Vivo no campo, gosto daqui, mas sinto uma falta imensa das facilidades da cidade grande: uma lojinha de coisinhas gostosas, uma quitanda com vegetais e frutas frescas… Faz uma falta!

    Responder
  6. Veia

    bem, num sei di receita nenhuma não, mas qdo já tava lá salivando a mesa posta, fiquei foi estarrecida diante de tal descrição dos fatos, que foi feito com tal realidade, que quase me pus a chorar por não ter tb. o tal grãozinho no “meu” arroz!

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *




Arquivos

Post aleatório

Mil-e-uma utilidades

Newsletter

Assine para receber no seu e-mail